terça-feira, 10 de Novembro de 2009

Os Dez Mandamentos da Análise Literária

Já aqui falámos dos 10 Direitos Inalienáveis do Leitor. Trago-vos hoje outro decálogo, muito actual ainda, e que descobri ao folhear as Lições de Literatura Portuguesa de António Bragança que tenho cá em casa:



Os Dez Mandamentos da Análise Literária.


1- Leitura integral, de contacto, descontraída, que possa fornecer a ideia geral do texto.

2 - Re-leitura de análise (repetida tantas vezes quantas necessárias) com o lápis na mão, assinalando as passagens que mais chamem à atenção ou que envolvam problemas de entendimento.

3 - Consulta do dicionário a fim de resolver dúvidas quanto à denotação das palavras ou expressões.

4 - Re-leitura tendo em mira compreender o índice conotativo das palavras ou expressões.


5 - Apontar as constantes ou recorrências do texto, sobretudo no que toca à conotação.

6 - Interpretar tais constantes ou recorrências.

7 - Consultar as fontes secundárias caso o texto o reclame: história literária, da cultura, biografia do autor, bibliografia, etc.

8 - Organizar em ordem hierárquica de importância as constantes ou recorrências e sua qualidade emocional, conceptual.

9 - Interpretá-las e buscar depreender as lições que comportam.

10 - Conclusão do trabalho e sua redacção final.

Este trabalho não é muito diferente do que também vou fazendo com os meus alunos. Nem sempre as aulas têm de ser originais, irresistíveis, organizadas em torno dos nossos aparentemente incontornáveis acetatos, powerpoints, quadros interactivos, trabalhos de pares ou grupos. Por vezes, em aula, é mesmo preciso, simplesmente, seguir estes dez mandamentos e, de lápis na mão, ler e re-ler.

ps -não resisti e sublinhei os pormenores do decálogo que achei mais curiosos.

Ana Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário